Loading...

sábado, 8 de novembro de 2008

DIANA DE ÉVORA VENCE SUPERTAÇA, DERROTANDO ACR VALE DE CAMBRA


Disputou-se a Supertaça Nacional, tendo o Diana de Évora, confirmado a superioridade que últimamente tem demonstrado, em relação à concorrência.


Desta vez, embora tenha empatado com o ACR Vale de Cambra, por 2 - 2, o Diana de Évora sagrou-se vencedora da Supertaça Nacional, dado ter conseguido vitória em tabuleiro superior.



ACR Vale de Cambra 2 Diana de Évora 2

GM Luís Galego 0,5 GM Miguel Hurtado 0,5
MI Diogo Fernando 0 MI Paulo Dias 1
MI Mauricio Vassallo 1 MI Luíis Santos 0
MF Jorge Guimarães 0,5 MI Fernando Silva 0,5


Parabéns ao Diana de Évora.


Texto by Afonsov
Foto by Juliana Chiu
Bookmark and Share

MOTO CLUBE DO PORTO COM 14 BATEDORES NA MARATONA

Continuando na saga de divulgar à comunidade xadrezistíca, as actividades do Moto Clube do Porto, passo a crónica da última Maratona em que participaram 14 batedores do Moto Clube do Porto.
Este tipo de colaboração, é bastante regular, e revela a óptima inserção do nosso clube com a comunidade:

14 homens do MC Porto engrandecem Maratona 2008
26-10-2008

Mais um tempo canhão numa prova de celebridades

Grande Maratona e grande colaboração do Moto Clube do Porto! Este domingo de 26 de Outubro de 2008, fresco e de sol radioso, confirmou a Maratona do Porto como a corrida desta distância mais rápida do país. O queniano Samuel Muturi arrancou um tempo de 2h11m08s, sacado a ferros pelo seu manager, o espanhol Miguel Mustaza, que muito berrou desde a partida, de cima de uma das motos deste clube. Foi o segundo melhor tempo da maratona em Portugal, apenas ultrapassado em 2006, neste mesmo circuito.

Os caça-fotos

O MC Porto muito contribuiu para o sucesso da organização ao comparecer à partida com 14 voluntários e respectivas motos, impecavelmente identificados, pontuais e munidos de capacetes suplentes. Foram eles o Vítor Figueiredo, o Luís Silva, o Mariano Sarno, o Nuno Trepa Leite, o Luís Guimarães, o Jorge Monteiro, o Rui Boina, o Valente, o Joel Tiago, o Miguel Soares, o Ilídio, o Carlos Freitas, o Mário 500 e o Ernesto. E como ao fim de cinco anos já nos sentimos como peixe na água, devemos estar a ficar conhecidos no meio talvez como os “emplastros do MC Porto”. É que não deixamos escapar uma figura conhecida, nos minutos que antecedem a partida. Desta vez sacamos bem dispostas fotos de grupo com a Vanessa Fernandes, com o seu pai, o “Velho Lau”, a glória lusitana Carlos Lopes, a entusiasta Aurora Cunha, a olímpica Marisa Barros e, claro, com a “armada” queniana e etíope, em peso nesta prova. Nada mais, nada menos que 18 atletas africanos, 15 deles masculinos.

O Guimarães é peça chave neste capítulo, sempre à coca de uma cara conhecida. Ao Ernesto, de máquina em punho, também não falta lata para pedir fotos de grupo a quem quer que seja e a alegria reina sempre.

Com todos os voluntários devidamente destacados para os mais variados serviços, de acordo com o tipo de moto e de experiência de cada um, chega a hora da partida. Desta vez levamos 4 câmaras, 3 fotógrafos, 2 directores, 1 manager, 1 juiz, 2 cronometrista e 1 responsável pelos abastecimentos.

Os atletas amontoaram-se atrás da faixa de partida, às 9 da matina, na Rua Júlio Diniz, perto do Palácio, e aguardaram o tiro da pistola de Carlos Lopes. E quando, de cima da GS do Luís Silva, o organizador Jorge Teixeira berrou um emocionado “A corrida é tua!” para o director Zé Silva, na CBR do Nuno Leite, finalmente o campeão olímpico disparou para mais de 800 atletas, a maioria estrangeiros, se fazerem à rotunda da Boavista. A mole gigantesca de mais de 8000 corredores – pois atrás seguiam os atletas da “Family Race”, de 14 km, e os descontraídos da Mini-Caminhada – começou a encher as artérias da Boavista, espectáculo quase só apreciado de helicóptero. Com muitas motos na frente do pelotão, os primeiros quilómetros foram estranhos: os quenianos não estavam a andar!

Espero? perguntava o lebre

Contratado para puxar no início da prova, o “lebre” espanhol Pedro Deloro trabalhou que se desunhou. Mas o magote africano não acompanhava o ritmo. O Pedro bem lhes gesticulava, chamando-os com o braço, mas a trupe queniana, com alguns etíopes pelo meio, não se lhe colava. Miguel Mustaza começava a desesperar, sempre de papel e caneta na mão, fazendo contas contínuas no banco traseiro da moto, quilómetro após quilómetro. Quando aos 40 minutos de prova, Deloro termina o seu trabalho, salta a tampa ao manager espanhol. Nunca o vimos assim! Os lebres africanos não estavam a cumprir. Os tempos estavam a ficar uma miséria. António Salvador, o melhor português, conseguia-se manter no grupo, enorme e compacto de 12 africanos. Miguel berrava e ralhava até encontrar a solução após consultar outros responsáveis pela vinda dos atletas à cidade do Porto. Mandou David Langat (homem que já conseguiu 2.08.57 em Paris 2006) para a frente da corrida, ajudado por Thomas Kipkosgei, e o ritmo ganhou logo outra vida. Até se notava no acelerador das motos. A beleza do percurso, da Foz ao Freixo, sempre junto ao rio Douro, com um salto à Afurada, a manhã fabulosa sem vento e de temperatura óptima, tinha todos os ingredientes para um tempo canhão. A organização, impecável, tinha o percurso bem delineado, objectivo e sem margem para dúvidas, com muitas centenas de pessoas a trabalhar. O público ía incentivando os atletas e os nossos voluntários estavam-se a divertir.

Trabalhar o tempo de cima de uma moto

Até que Negari Terfa ataca, pelas bandas de Massarelos, quando faltariam uns 9 km. Samuel Muturi apanha-o, tal como o etíope Heyi Tola. Os três começam a correr para a vitória, sempre incentivados por um Miguel Mustaza que não esteve 20 segundos calado durante toda a corrida. Previa-se um grande tempo. Mas o vento de frente surgiu junto ao mar, na Avenida Brasil. Muturi não se acobarda e lança-se para a vitória, perante o testemunho dos homens do MC Porto e vence com os tais 2.11.08, o 2º melhor de Portugal e um bom registo internacional e prestigiante para esta prova que em 2009 será também o Campeonato Nacional da Maratona. Tola secunda-o no pódio e Terfa fica com o terceiro. Mais informação em www.runporto.com.
As motos do clube começam a chegar à meta – no Parque da Cidade - para o merecido descanso dos seus condutores, pois alguns deles não puseram sequer o pé no chão desde a partida, numa concentração constante de condução cuidada e precisa, entre atletas, pinos, polícias, mesas de reabastecimento e veículos de organização e segurança, sempre com um olho para a frente e outro nos retrovisores. Começam as estórias a serem passadas de uns para os outros. Como a do Boina que, enganado, também enganou a vencedora feminina, a etíope Tirfe Beyene, obrigada a correr mais umas dezenas de metros devido à falha no percurso na rotunda do Castelo do Queijo atrás do nosso motociclista que transportava um cameramen. O Guimarães deixou a Varadero “dormir” um bocadinho lá pelo meio e o Ernesto passou uma tanja tão grande a uma placa de quilometragem que a máquina fotográfica do seu passageiro ía lá ficando de recordação.
Coelhinhas, Susinami e pizzaria

Ainda se conseguiu uma foto de grupo engraçada: andava um grupo de coelhinhas cor-de-rosa francesas a incentivar os maridos. Não as podíamos deixar fugir. Um de nós, muito cavalheiro, até passou uma ao colo por cima das barreiras.

E esperamos pela chegada da Susana Simões, a conseguir o excelente tempo de 3.17.07, ficando em 7º lugar feminino. Recordamos que em 2007, antes de se meter no triatlo e consequente dispersão pela bicicleta e natação, a Susana conseguiu 3.08.38 e o 4º lugar na prova!
E pela primeira vez ao fim de cinco anos, não tivemos de esperar pelo fim da prova para sairmos de fininho para o restaurante. Não ficamos responsáveis pelo transporte dos médicos, que penam junto ao carro vassoura, atrás dos últimos concorrentes, que teimosamente se arrastam a passo até ao fim dos 42 km e cento e tal metros. Ufa!

Fomos até os primeiros a entrar na pizzaria do sócio Zé Paulo Nogueira, no Edifício Transparente, após uma caravana tão disciplinada e tão bem identificada com o clube que até arrancava aplauso por onde passava, nos 3 km de percurso utilizado. Houve um de nós que se lembrou de fazer isto mais vezes, com coreografia...

De resto, foi comer até cair para o lado, sem abusar da pinga. Saímos “sadisfeitos” e divertidos. Obrigado a todos os voluntários, alguns dos quais ainda foram para a Av. 25 de Abril, colaborar no Raid Porto-Marco TT, prova do “nacional” de raides que contou também com o apoio do MC Porto desde 5ª feira.

Jorge Teixeira, quantas motos e a que horas para a S. Silvestre?
Bookmark and Share

4º TORNEIO ARTE DA GUERRA




4º Torneio A Arte da Guerra - Santo Tirso, de 10 de Dezembro a 4 de Fevereiro. Abertas as inscrições


O 4º Torneio A Arte da Guerra - Preliminar A do Campeonato Distrital Individual de 2009 - decorre entre 10 de Dezembro e 4 de Fevereiro nas instalações do Museu Municipal Abade Pedrosa, em Santo Tirso. As inscrições encontram-se abertas até ao dia 8 de Dezembro, nas condições regulamentares.


4º Torneio A Arte da Guerra é o primeiro do Distrital Individual 2009
Local dos jogos, que têm lugar pelas 18:30 horas dos dias 10 e 17 de Dezembro, 7, 14, 21 e 28 de Janeiro e 4 de Fevereiro:
Museu Municipal Abade Pedrosa, Santo Tirso


Posted from site AXP: http://www.axp.pt/
Bookmark and Share

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

GRANDE POLÉMICA PARA O JOGO TOPALOV-KAMSKY

Foto:Topalov, búlgaro pretendente ao título



NOTICIA DE ABRIL DESTE ANO:8 ABRIL DE 2008



O duelo entre Gata Kamsky e Veselin Topalov pelo direito de desafiar o Campeão do Mundial de Xadrez está programado para a segunda metade do ano 2008.

A Federação Búlgara havia-se candidatado a patrocinar e organizar o evento, mas Kamsky negou-se a jogar em local que não fosse neutro.

O presidente da FIDE, Kirsan Ilyumzhinov, prolongou o prazo até 23 de abril, o que provocou o vigoroso protesto da Federação Búlgara. Posteriormente ficou claro que a decisão da FIDE se devia a uma nova proposta para realizar o encontro em Lviv (Ucrânia).


Foto:Gata Kamsky dos Estados Unidos

O manager de Kamsky, Alexander Chernenko, indicou os detalhes exactos sobre o lugar do encontro e o fundo global de prémios: o duelo Topalov - Kamsky será disputado em Lviv, Ucrânia, e o fundo de prémios supera os 750.000 dólares.


Foto: O Presidente da Federação Americana, BILL GOICHBERG



CARTA ABERTA DO PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DOS ESTADOS UNIDOS Bill Goichberg:7 NOVEMBRO DE 2008



Ao Presidente da FIDE Ilyumzhinov Kirsan

A Federação de xadrez dos E.U. está espantada ao ouvir a última posição da FIDE no que diz respeito ao jogo Kamsky vs Topalov !!

Em 1 de Junho de 2008, a FIDE anunciou que este jogo teria lugar em Lvov, na Ucrânia, que teria início a 28 de novembro e que teria um prémio de $ 750.000.É o seguinte o comunicado de imprensa dessa data, conforme publicado no site FIDE:

Presidente garante jogo Topalov-Kamsky

O Presidente Kirsan Ilyumzhinov anunciou que o Campeonato Mundial Challenger Match entre Veselin Topalov (Bulgária) e Gata Kamsky (E.U.A.) terá lugar em Lvov, na Ucrânia em Novembro de 2008.

Os organizadores ofereceram um prémio de 750000 dólares com um fundo para assegurar o jogo no território neutro da Ucrânia, tal como os jogadores queriam, evitando a Bulgária ou a E.U.A.. O Presidente Kirsan Ilyumzhinov ofereceu garantias de organização do evento pelo apoio da sua situação financeira pessoal.

Os dirigentes da FIDE reconheceram a oferta, e o Vice-Presidente Georgios Makropoulos assinou os contratos e verificou a disponibilidade das finanças. O jogo será realizado em datas entre 26 de Novembro e 14 de Dezembro de 2008.

Agora está a ser dito, que a "garantia" que a FIDE anunciou pode ser retirada porque o organizador do jogo de Lvov não fez o necessário pagamento à FIDE? Mas essa garantia só tinha significado justamente sob estas circunstâncias!

Se o organizador tivesse feito esse pagamento, de imediato, para o Presidente da FIDE , "a garantia do evento da sua situação financeira pessoal" não seria necessária. Uma vez que o organizador não fez o pagamento , o "apoio ao evento a partir de suas finanças pessoais" agora é necessário! A FIDE parece ser da posição de que estava feliz de prometer o apoio apenas com palavras, mas esse apoio não seria com dinheiro real .Incrível!

Vários produtos, muitas vezes são vendidos com garantias. Imaginem se o produto não funcionar, devolvem-no para reparação ou restituição, e o vendedor diz: "Desculpe, mas decidimos que a garantia só é válida se o produto estiver a funcionar perfeitamente." Isso é exatamente o que está a tentar fazer a FIDE aos jogadores neste jogo.

O mundo do xadrez e os meios de comunicação não vão ser tão fácilmente enganados. É evidente que a FIDE fez um compromisso público, e agora está a tentar voltar atrás por nenhuma razão válida. A "garantia" não está sujeita a ser revogada no capricho do fiador. Por favor, reconsidere essa decisão muito pouco sensata e inadequada.




Foto:Susan Polgar, envolvida na polémica


RESPOSTA DE SUSAN POLGAR AO PRESIDENTE DO FEDERAÇÃO DOS E.U.A. DE XADREZ:7 DE NOVEMBRO DE 2008


Por favor, gentilmente verifique se este é apenas o seu parecer pessoal ou a opinião de vários indivíduos. Como membro do conselho da Federação de xadrez dos E.U. , eu não autorizei esta carta, nem vi esta carta aberta antes de ter sido publicada. Você definitivamente não tem a minha permissão para falar em meu nome. Esta é a primeira vez que eu estou a ter conhecimento dela!

Este é um assunto muito sério, uma vez que irá claramente afetar a carreira profissional dos dois grandes jogadores: Gata Kamsky e Veselin Topalov. Gostaria de ver estes dois jogadores de classe mundial, resolver suas diferenças sobre o tabuleiro de xadrez e não por meio da guerra de palavras. Gostaria de encorajar todas as partes a iniciarem negociações diplomáticas e respeitosas para chegar a uma solução sensata, em vez de adicionar mais combustível para o fogo com este tipo de cartas abertas.

A nossa comunidade do Xadrez já sofreu o suficiente. Se gostar de estar pessoalmente envolvido nessa negociação, é mais que bem-vindo para vir para Dresden na próxima semana e falar com os responsáveis da FIDE. Mas não vamos entrar por esse caminho destrutivo que termina sem acordo amigável possível.






compilação e tradução goodchess


fotos in google
Bookmark and Share

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Top mundial a 4 novembro!!


O ranking Mundial a 4 de Novembro foi actualizado, e mostra VESELIN TOPALOV isolado no 1º lugar com uma ligeirissima vantagem sobre Anand.

Na frente nada de mudanças radicais...


Classificação mundial por elos a 4/11/2008:



Rank

Name

Rating

Change

Born

01

Topalov

2791,0

0

1975

02

Anand

2790,8

+7,8

1969

03

Ivanchuk

2788,1

+2,1

1969

04

Morozevich

2778,8

-8,2

1977

05

Carlsen

2778,7

-7,3

1990

06

Kramnik

2764,2

-7,8

1975

07

Radjabov

2756,8

+5,8

1987

08

Aronian

2752,3

-4,7

1982

09

Leko

2747,0

0

1979

10

Wang Yue

2745,0

+9

1987

11

Movsesian

2740,8

+8,8

1978

12

Jakovenko

2737,2

+0,2

1983

13

Mamedyarov

2729,7

-1,3

1985

14

Alekseev

2726,2

+11,2

1985

15

Ponomariov

2725,6

+6,6

1983

15

Shirov

2725,6

-0,4

1972

17

Svidler

2723,4

-3,6

1976

18

Grischuk

2723,3

+4,3

1983

19

Adams

2720,5

-13,5

1971

20

Dominguez

2719,0

0

1983




texto by goodchess
Bookmark and Share