Loading...

sábado, 18 de julho de 2009

BOAVISTA REGRESSA AO XADREZ



Temos o prazer de reproduzir uma boa notícia para o Xadrez Portuense, e, nacional.

O Boavista, mesmo atravessando uma fase difícil, tomou a decisão de regressar ao Xadrez.

Reproduzimos notícia, da secção:


Quarta-feira, 15 de Julho de 2009

XADREZ REGRESSA AO BOAVISTA FC

A Academia de Xadrez vai reabrir no Boavista com Raul Ralha a liderar o novo projecto.
Vamos postar o texto do Projecto e simultâneamente solicitar a divulgação do mesmo por todos os Boavisteiros e amigos.

Para mais informações devem contactar-nos por email ou contactar a Coordenadora das Amadoras pelo telefone 226071039

As aulas terão inicio no dia 1 de Setembro
Postado por Actividades Amadoras às 11:38
Posted by Afonsov
Bookmark and Share

sexta-feira, 17 de julho de 2009

A MALTA DO MOTO CLUBE DO PORTO É QUE SÃO UNS GRANDES MORCEGÕES




18ª Morcegada nostálgica até no vencedor
13-07-2009

MCP reviveu noite de 92 em que Zagallo foi novamente o mais regular

Há já uns anos que não se exigia tanta resistência aos participantes da “Morcegada” do MC Porto como nesta edição. Talvez sentindo isso, os menos rijos ficaram em casa aparecendo apenas os tesos. Eles e elas. E assim a 18ª edição dos Morcegos Henisa – MC Porto foram para a estrada na madrugada de domingo, 12 de Julho, partindo da Marina do Freixo à meia-noite em ponto e terminando na bem conhecida aldeia de Almofrela, pelas 6 da manhã. Pelo meio revisitou-se a gruta junto a Campanhó, na serra do Alvão, onde tudo começou em 1992.

Foi um passeio nocturno para apreciadores, longo de 200,7 km, com 37 motos inscritas e um total de 50 participantes a que se somaram 12 patifes na desorganização e malandrices noctívagas.

Para melhor entenderem o espírito que presidia a esta noite, retiramos as linhas iniciais da primeira das 11 páginas do ilustrado road-book: “Sabias que os “Morcegos” nasceram dentro do Moto Clube do Porto entre a rapaziada do Enduro, que se divertia a dar umas voltas à noite, de modo informal? Nessa altura, os actuais sócios 42 e 67 (Ernesto e Pedro Delerue) descobriram uma gruta em Campanhó, serra do Alvão e quiseram-na dar a conhecer num passeio nocturno, mas de estrada e de forma organizada. Nasciam assim os “Morcegos” como conheces hoje e que, nas primeira edições juntava no final alguns entusiastas do Enduro, chegados pelo monte. E assim a primeira “Morcegada” - começada no 6º Aniversário, num restaurante perto da Areosa - terminou nesta tal gruta com morcegos a sério.
Como não havia computadores para classificações, a nossa experiência era nenhuma, e não existiam autoestradas, chegamos ao Porto à hora do almoço... Em 1993, a mesma rábula.
Terminamos no S. João de Arga e fomos tomar o pequeno-almoço a Caminha. Entregamos os prémios em Matosinhos e chegamos a casa outra vez ao fim da manhã. Em 1994 terminamos em pleno Parque Nacional do Gerês. E lá viemos a dormir em cima da moto. A partir daí terminamos todas as edições o mais perto possível da Invicta de modo a minimizar o cansaço dos participantes. Nos anos seguintes até arranjamos grutas a sério na serra de Valongo...”
Desta forma, no meio da pessegada que era o acesso à Marina do Freixo, cheia de outro tipo de noctívagos, o MC Porto deu partida, de minuto a minuto, às 37 motos cujos condutores e muito passageiros aceitaram o desafio de rolar até ver nascer o sol.
Tongóbriga, Ovelha e Amarante para começar

O percurso começou pelas muitas curvas até Entre-os-Rios, Torrão, Alpendurada e Marco de Canaveses. Aí, nas ruínas de Tongóbriga, o Modesto Correia tirava os tempos aos mais habilidosos numa curta corrida dos lentos. Os mais equilibrados até saíam de lá com bonificações, num cenário com 2000 anos. O Tiago, de Vespa, até conseguiu dar a volta no curto percurso.
O road-book tornava-se interessante. Havia monumentos a vistoriar, a Casa dos Arcos, a Igreja Românica de Tabuado e a ponte da Várzea, sobre o rio Ovelha. Uns iam respondendo às questões, outros limitavam-se a seguir as motos da frente, sem saberem se estavam perto de Amarante ou se de Arouca. A Pacific Coast do Osvaldo grilava e este foi a casa num instante (em Recarei!) para aparecer de novo com a Paula num side chinês...
Em Amarante, muitas referências às batalhas vividas há precisamente 200 anos. É que em 1809, a então Villa de Amarante fui palco de heroísmos e sangrentos confrontos com as tropas napoleónicas. E os motociclistas iam curtindo. Com ritmos diferentes, sós ou em pequenos grupos, atiraram-se à sinuosa 210, muito lenta ao longo do Tâmega e rumo a terras de Basto. O relógio já tinha dado as duas há muito quando passaram a Celorico e Mondim. Mais uma paragem em vetusta ponte sobre o Cabril e há que subir para o Alvão.
Nunca mais ganhamos juízo

Mas sobre o Olo, já fora das nacionais, aparece o Nuno Feliz de cronómetro, rádio e apito. “Meus amigos, tem aqui uma prova de regularidade. Um a um, tem de percorrer os próximos 2 km em 4 minutos. 3, 2, 1, Já!” gritava o controlador com o canal aberto do rádio para que o controlador a meio da serra pudesse cronometrar também a partida. E lá iam eles, sós, na escuridão do Alvão, concentrados nos manómetros da moto quando... AAAARGH!! lhes saltava uma carantonha da vegetação! Os veteranos nestas coisas – que já sabem o que a casa gasta – íam a prever serem atingidos, bombardeados, pranchados ou outra coisa qualquer. Mas felizmente nos Morcegos há sempre caras novas. Berros, ziguezagues, acelerações ou travagens e segundos sem respirar foi mato. Mato que nunca chegou a levar com uma moto despistada pois estava tudo controlado. Nunca mais ganhamos juízo. No silêncio do Alvão, às 3.30 da madrugada, desconfiamos que os berros do monstro eram ouvidos em Paradança, a uns 2km em linha recta, do outro lado do vale.
Reviver a gruta de 1992

Mas havia mais. Quase a 1000 metros de altitude, a papelada mandava parar novamente pouco após a aldeia adormecida de Campanhó. As motos entraram por um prado e depois de estacionadas, os participantes seguiram carreiro iluminado por velas de cemitério. O local é fabuloso, mesmo de noite. A lua, quase cheia, fazia prescindir a necessidade de lanternas. Mas que noite. Suave e amena, com uma visibilidade longínqua naquele cimo. Cinco estrelas. Cinco não. Eram milhares no céu.E para onde nos levavam as velas? Para uma gruta natural, de bocarra assustadora e fria, onde o Carlos Ruivo e Cuarlos recebiam as respostas em troca de cafezada. Um mimo! Em 92, os primeiros “morcegos” a lá entrar foram o Vasco Lima e o seu filhote, o pequenito Hugo. Hugo que hoje é um matulão a aparece nos eventos do MCP de namorada e KTM...

Madrugada fabulosa no Alvão

Foi momento para recordar. Iniciava-se então o regresso pelo Alto do Velão, onde Zé e Alice obrigavam a um tira-teimas na corrida dos lentos. É que foi aí que se fizeram os desempates finais em 1992. O sol começava a nascer para muitos. Os que o viveram no cimo da serra não esquecerão tão cedo os cumes – onde pontificava a Sra da Graça – entre as neblinas dos vales. Que poster! Solidários com os condutores de ritmo mais calmo, o Ismael e Arnaldo lideravam grupo de 9 participantes que de tão atrasados já nem conseguiam chegar a tempos dos jogos e partidas.

As setinhas dos road-books ensinavam o caminho para o final. Campeã, Viariz da Poça, a N15 pelo Alto do Espinho, Pousada e obras do túnel do Marão. Depois Basseiro, Bustelo, Alto do Carneiro e Baião. O Miguel Soares deixava a V-Strom na berma pois a gasolina já tinha secado completamente. Alguns participantes colavam-se aos organizadores para chegarem sem sobressaltos ao final. E começava a subida final à serra da Aboboreira e sua pérola, a Tasquinha do Fumo.

Almofrela non-stop

Chegado à hora prevista para receber os primeiros aventureiros (5.35h da madrugada) o Sérgio Correia deparou-se com um cenário idílico de... vale de lencóis. Cansados por terem recebido clientes até tarde, os nossos anfitreões Artur Soares e D. Isabel, ainda descansavam um sono merecido. Mas num instante começaram a preparar tudo, nesta iniciativa que para eles também foi estreia. Deram de comer a 59 pessoas ao nascer do sol! O forno a lenha começou a receber bolos típicos. O presunto, chouriça e queijo foram sendo fatiados e 150 pães fresquinhos – ou quentinhos – apareceram vindos da padaria. E também foram aparecendo os ensonados participantes. Uns, finos, jogaram à malha para espantar a moleza, como os Fernandos Teixeira, o Boaventura e amigos. Outros, ou outras, deixaram-se cair no sono. As aves dadas à altitude (Almofrela está a 760 metros do nível do mar) já cantavam alegres. O ambiente é mesmo bom. E com a chegada da penúltima leva de motociclistas e desorganizadores, como coincidiu com a finalização do pequeno-almoço, deu-se ordem para atacar. O presunto estava divino e o espadal ainda melhor. Todos aqueles que não quiseram aproveitar o espaço – ou por alguma razão não podiam – ficavam a sumos. As carnes, queijos e pães desaparareceram rapidamente. Os nove elementos finais chegaram e a festa ficou completa. Os bolos caseiros e os da Teixeira também marcharam e se o sono já era muito antes do repasto, com este quebranto é que ficou pesado. As classificações foram feitas rapidamente sob cebolas e junto às pipas. Com pompa e circunstância, foram ditadas e realçando a resistência de todos. Normalmente pelas 7.00h já está tudo a caminho de casa, junto ao Porto. Mas a alegria de todos imperava. O sol já aquecia e a Tasquinha do Fumo dispõem bem. Os participantes levaram todos o Diploma mas também o “Plano da Pólvora” do evento, mapa do percurso com as patifarias detalhadas, esquema que pela primeira vez se distribuiu por todos.

Vinhaça para os mais certinhos e palmas para os solidários

Tivemos 3 senhoras a conduzir: a Joni, a Teresa Marinho e a Carla Silva. A Carla ficou precisamente em 2º lugar após todos os controlos horários, corridas dos lentos e 10 perguntas feitas na escuridão da noite. Em terceiro tivemos o xadrezista Raúl Pinheiro, que tal como a Carla levaram uma rica garrafa de espadal. A terceira garrafa seria para o mais regular. E aqui está mais uma surpresa. Numa noite nostálgica em que andamos a revisitar os locais e momentos da 1ª edição, o vencedor é o mesmo de 92! O João Zagallo, de novo numa CBR 600! Ele há coisas...
Foto de grupo tirada, despedidas feitas e a comandita desenfiou-se serra abaixo. Havia quem fosse trabalhar. Não sabemos bem como. Alguns desorganizadores e participantes, de colchão em punho, queriam ficar para um ripanço. Mas não é que o nosso conhecido Pedro Bianchi Prata montou um TT para o “nacional” de Enduro que iria barricar as estradas em redor de Almofrela das 9 às 14h? Que remédio tivemos nós senão vir embora contrariados... Estava-se tão bem na serra...

As fotos incluem também os locais visitados e fotografados de dia. Se algum participante tiver fotos do evento, agradecemos o envio pois não conseguimos estar em muitos dos locais durante a passeata. Obrigado.


Posted by Nestov





FOTOS SELECIONADAS:












































Bookmark and Share

GM BULGARO VLADIMIR PETKOV VENCE TORENEIO ABERTO INTERNACIONAL "CIDADE DAS BURGAS" EM ORENSE, ESPANHA





Terminou o Internacional de Orense, em que o GM Bulgaro Vladimir Petkov, terminou em 1º lugar, com 7 pontos.



No segundo lugar ficou o FM Cubano Jose Angel Guerra, também com 7 pontos.



A fechar o pódio, também com 7 pontos, ficou o FM Cubano, Sandro Pozo.



O melhor portugues, foi o jovem Jorge Viterbo Ferreira, do GD Dias Ferreira, de Matosinhos, na 11ª posição, com 6 pontos.



O jogador do Moto Clube do Porto/Alpi, José Padeiro, ficou na 14ª posição, também com 6 pontos.



Realçamos a boa prova do inexperiente jogador do MCP/ALPI, Rui Alexandre Gonçalves, que ficou na 47 posição, com 4,5 pontos.


CLASSIFICAÇÃO FINAL:
1 GM Petkov Vladimir BUL 7,0 pontos
2 FM Guerra Mendez Jose Angel CUB 7,0 pontos
3 FM Pozo Vera Sandro CUB 7,0 pontos
4 FM Gomez Ledo Roberto Carlos CUB 6,5 pontos
5 GM Spassov Liuben BUL 6,5 pontos
6 IM Ortiz Suarez Isan Reynaldo CUB 6,5 pontos
7 IM Andres Gonzalez Alberto ESP 6,5 pontos
8 FM Andres Gonzalez Ivan ESP 6,5 pontos
9 FM Taboas Rodriguez Daniel ESP 6,0 pontos
10 IM Gomez Garrido Camilo CUB 6,0 pontos
11 Ferreira Jorge Viterbo POR 6,0 pontos
12 Baltar Iglesias David ESP 6,0 pontos
13 Mate Adan Carlos ESP 6,0 pontos
14 Padeiro Jose POR 6,0 pontos
15 IM Alvarez Pedraza Aramis CUB 6,0 pontos
16 Vidal Del Rio Diego ESP 6,0 pontos
17 Outeiro Padin Heladio ESP 6,0 pontos
18 Guerra Tulcan Lenin ECU 5,5 pontos
19 De Sousa Da Silva Armando POR 5,5 pontos
20 Otero Nogueira Brais ESP 5,5 pontos

...

23 Pinho Tiago Brandao De POR 5,5 pontos

26 Nora Fernando Manuel Lobo Caet POR 5,5 pontos

35 Martins David Pires Tavares POR 5,0 pontos

40 Ferreira Susana Carolina G POR 5,0 pontos

47 Goncalves Rui Alexandre POR 4,5 pontos

49 Andrade Nuno Filipe POR 4,5 pontos

67 Balu Henish POR 3,5 pontos
Bookmark and Share

terça-feira, 14 de julho de 2009

MOTO CLUBE DO PORTO, O MAIS VIP DA EUROPA

104 cantam parabéns ao MCP e recebem novidade


13-07-2009



Congresso UEM 2010 será no Porto com o nosso clube a colaborar


O restaurante da Marina do Freixo, na margem do Douro, recebeu mais de 100 convivas do MC Porto para festejar o seu 23º Aniversário, na noite de 11 de Julho. Para além das homenagens habituais, das gargalhadas e diversão, ouviram da boca do Presidente Carlos Ruivo a novidade da noite: o Congresso anual da União Europeia de Motociclismo será em Portugal e mais precisamente no Porto. Será uma organização da UEM e FMP mas o MC Porto será bastante importante no seu sucesso.


Marcado para as 20.00h, o jantar começou um bocado mais tarde. O facto de termos tido um test-ride e um concerto rock na sede impediu que todos os envolvidos nas organizações conseguissem chegar a horas. Não houve problema algum pois o espaço é excelente, atrás do Museu da Imprensa, junto ao Palácio do Freixo e na foz do rio Tinto. A marina, boa esplanada e tempo espectacular de Verão ajudaram a muitos sorrisos e boas fotos. Como convidados tínhamos o Pedro Pires da NEXX (bem acompanhado) e um casal de sérvios, o Zoran e Ana, a darem um toque internacional ao evento, ajudado pelo nosso sócio belga Huggues Kasterman e sua esposa russa, a Yulia (casaram na nossa sede, lembram-se?).



A adesão ao jantar foi tal que os últimos pedidos de inscrição, à última da hora, não puderam ser aceites. E mesmo assim, não foi nada à larga que nos sentamos no restaurante, havendo até uma mesa de 20 pessoas a ficar na esplanada. Mas o restaurante, muito aberto e envidraçado confere conforto e espaço.



Discursalhadas inaudíveis


Após o buffet, chegou o bolo – enorme, bem decorado e oferecido pelo sócio Agostinho Santos – da Confeitaria Nova Arosa. Colocaram-se as velas e cantou-se a música mais conhecida do planeta. Com a sobremesa saboreada, tentou-se dar as muitas palavras de agradecimentos, referir aspectos importantes do clube e dar novidades aos sócios. Carlos Ruivo teve de se cingir ao essencial em discurso minimalista devido à chinfrineira da música ao vivo que tinha começado a debitar decibéis. Mesmo de porta fechada, foi muito difícil transmitir mensagens e só com algum esforço lá se foi seguindo o protocolo.


Vamos receber a UEFA do Motociclismo
É aí que Ruivo dá a novidade da noite. O próximo c


Congresso anual em que a UEM decide calendários desportivos e trata de outros assuntos do foro motociclístico europeu, será cá no Porto, de 2 a 4 de Julho. A candidatura foi apresentada no fim de semana passada e aceite no Congresso 2009 em Istambul, Turquia. Foi isso que o Vice-presidente da FMP veio dizer ao clube, durante a tarde, na sede. Homem do Norte, José Artur Campos Costa está empenhado no sucesso do evento e conta com a importante colaboração do MC Porto para tal êxito. Para já, foi o MC Porto a fazer o logo do evento, aprovado pela FMP e UEM. O congresso trará cerca de 250 pessoas de umas 30 nacionalidades à nossa Invicta.



Agradecer a importância dos sócios


Regressando à sala de jantar, o sócio António Cardoso ofereceu um poema encaixilhado ao clube e os sérvios Zoran e Ana trocaram lembranças balcãs e lusitanas connosco. Chegou o momento de agraciar os sócios que perfazem 10 anos de casa em 2009, tendo estado presentes 6 dos 7 convidados: A Fátima Silva, Adeodato Silva, Afonso Duarte, os pequenitos Pedro Pedroso e Inês Brochado e por fim o Pedro Maia. O Ernesto gosta de referir bem tudo o que estes sócios já deram ao clube mas nesta noite foi mesmo difícil devido à música ambiente, altíssima. Ainda assim, conseguiu-se fazer brilhar todos os elementos agraciados, importantíssimos para o crescimento do Moto Clube do Porto. Muito obrigado a todos! Dos três sócios que completaram 20 anos, apenas um esteve no Freixo. Mas o Ângelo Silva, em Londres, fez questão de se representar. O sócio que não falhou o jantar foi precisamente o Ernesto Brochado. Levou uma salva de palmas de pé, que o deixou bastante agradecido. Terminou em beleza a jantarada.
Despedida em bar da moda


E à parte a música alta – mais despedidas de solteiro e algazarra de outros grupos - não deixar gozar um evento destes no ambiente íntimo que o MC Porto necessita nestas ocasiões, o restaurante da Marina do Freixo nem é mau de todo. Tem bom ambiente, está na moda e abundam as caras bonitas. Foi rodeadas de uma noite fabulosa e Pink Floyd que as motos alinhadas na margem do Douro colocaram os motores a trabalhar. Estava na hora de arrancar para os 18º Morcegos Henisa – MC Porto. Mas disso falaremos noutra notícia.



































































Posted by Nestov
Bookmark and Share

BMW's COM O MOTO CLUBE DO PORTO É SEMPRE A ROLAR



BM’s não pararam no Test-ride
12-07-2009



23º Aniversário do MC Porto começou com quase 40 testes de condução




Entre amigos, com colorido e boa disposição, o Test-ride que a A.S. Motorrad organizou no sábado à tarde, 11 de Julho, iniciou da melhor forma as comemorações do 23º Aniversário do Moto Clube do Porto, diante de uma sede bastante concorrida.




Cumprindo o combinado, o concessionário da Rua de Camões colocou à disposição dos associados do MC Porto oito novos modelos BMW: F 650 GS, F 800 GS, F 800 R, R1200 GS, R 1200 RT, K 1300 S, K 1300 GT. Claro que os sócios não se fizeram rogados e utilizaram-nas cerca de 37 vezes, num percurso curto mas completo de ida ao Freixo e regressar, usando asssim as BM’s em cidade e auto-estrada.
Bruno Soares, Rui Paraty e Ana representaram a marca e geriram as inscrições e, no final, revelaram-nos que nestes test-rides os interessados são mais conhecedores, sabem o que querem e apenas desejam experimentar os modelos que realmente lhes interessam.




Com o parque de estacionamento da sede bem cheio, muitos sócios e a música a começar a debitar decíbeis de dentro da nossa casa, o test-ride durou das 15.30h até sensivelmente às 18.30h como previsto.




Durante esse período o MC Porto foi honrado com a presença de José Artur Campos Costa, amigo do clube e vice-presidente da Federação de Motociclismo de Portugal.
O 23º Aniversário do MC Porto continuou com o concerto rock dos Sem Nome e jantar na Marina do Freixo, bem como com uma resistente morcegada. Mas disso falaremos noutras notícias.







FOTOS SELECIONADAS:




























Posted by Nestov
Bookmark and Share