quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

ELEMENTOS DO MOTO CLUBE DO PORTO, AUTENTICOS HOMENS DAS NEVES

Sócios MC Porto escalam Pirenéus 30-11-2009

Bandeira do nosso clube levada com sacrifício e vontade pelo Luís, Fernando e Nuno

O Moto Clube do Porto tem um universo de sócios enorme, diversificado e com valor.
Alguns não nos param de surpreender e, mais uma vez, é um gosto enorme partilhar a aventura do Luís Silva, Fernando Varanda e Nuno Seabra, nossos sócios e bombeiros de profissão que, juntamente com mais cinco colegas de profissão e um nono amigo foram tentar alcançar o Pico do Aneto, ponto mais alto dos Pirenéus, na semana de 9 a 15 deste Novembro.


Esta estória não mete motos mas tem interesse. O Luís, habitual voluntário nas provas de atletismo, já nos tinha dito que logo a seguir à Maratona do Porto arrancava para os Pirenéus, à semelhança do que já tinha feito com o mesmo grupo de amigos há uns tempos nos Picos da Europa. Sabendo da qualidade das escaladas desta gente, pedimos para nos enviarem fotos dos cumes.


E o Luís mandou.

São locais onde não conseguimos chegar de moto pelo que só mesmo carregados de material, roupa quente, picaretas, muita preparação física e espírito se alcançam.
A escrita passa agora a ser do nosso Bombeiro Sapador de Gaia com alguns acrescentos do MCP:



Discurso directo do alpinista-bombeiro-motociclista



Olá! A rapaziada já chegou dos Pirenéus.


Foi uma semana espectacular e cansativa devido à neve que caiu dias antes. Ao fim de 12 horas de viagem de carro lá chegamos a Benasque , uma terra lindíssima.
(MCP: A pequena vila espanhola de Benasque é praticamente fim da linha e já está encravada entre os mais altos cumes pirenaicos. Fica ao meio da cordilheira, junto ao túnel de Vielha, tendo Bagnéres-de-Luchon do outro lado da fronteira. Aí encontra-se uma “escola de montanha” onde os nossos amigos aperfeiçoaram técnicas de escalada).



No segundo dia, leves e de capacete, escalamos as “vias ferratas” Del Castellano com 280 metros e a de Sacs com 550 metros de altitude.
(MCP: apesar dos degraus metálicos colocados nestas imensas paredes e que se podem ver nas fotos, a ascenção é difícil, cansativa e requer cuidados. Quase no cume o Luís bem pode agradecer à corda que o suportava).



Já no dia seguinte, de mochilas às costas, saímos da escola de montanha de Benasque em direcção ao refúgio de La Renclusa que fica a 2.140 metros de altitude a caminho do ponto mais alto dos Pirenéus que é o Aneto.
(MCP: o Aneto é o ponto mais alto do maciço de Maladeta e da cordilheira com os seus 3.404 metros de altitude. Foi escalado pela primeira vez em 20 de Julho de 1842).



Ao fim de 6 horas a andar na neve enterrados até aos joelhos (de vez em quando desaparecíamos) e as mochilas a pesar toneladas lá chegamos ao refúgio, onde pernoitamos nessa noite.
(MCP: A rota menos difícil para se atingir o Aneto é esta por La Renclusa. Obriga é a mais quilómetros de marcha pois fica a norte do pico).




Quase...



Pelas quatro da manhã pusemos os pés ao caminho (só dois de nós tinham raquetas para caminhar melhor) para apanhar a neve gelada que nos facilita a progressão no terreno.
Passadas 7 horas chegamos aos 2.840 metros de altitude onde fica o maior glaciar dos Pirenéus com 100 hectares de superfície.
(MCP: tal como todos os glaciares do planeta está a desaparecer a olhos vistos devido ao aquecimento global. Há 100 anos tinha o dobro de extensão e pode desaparecer nos próximos 30 a 40 anos).



Diante do glaciar paramos para descansar e comer qualquer coisa e verificar se havia condições para continuar.
Devido à distância que faltava para alcançar o Aneto, às condições do clima que se estava a agravar e, claro ao cansaço do grupo, decidimos voltar para trás.
Mas a montanha continua lá.
(MCP: é aqui que tiram a foto de grupo com a “bandeira” do MC Porto, nada mais nada menos que uma das toalhas da máquina de café da nossa sede...).
Pode ser que na próxima conseguimos alcançar o Aneto.
(MCP: claro que podem. Se forem no Verão sobem com uma perna às costas, já que espírito de sacrifício, como se pode ver, não vos falta! Parabéns!).



Envio algumas fotos desta aventura. Um abraço




Posted by Nestov

Bookmark and Share

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

MOTO CLUBE DO PORTO BATE A FIL NA APRESENTAÇÃO DA NOVA HONDA VFR 1200

Casa cheia com a Honda VFR 1200 28-11-2009

Máquina revolucionária deu vida à sede do MC Porto

Muita gente, sócios, amigos e curiosos encheram a sede do MC Porto na noite de 6ª feira, 27 de Novembro.
A nova Honda VFR 1200 não gorou as expectativas. É um maquinão!




Pelas 21h em ponto, a Moto Boxe descarregou a nova Honda na sede do MC Porto e num ápice se montou e iluminou o cenário ideal para que todos pudessem ver bem a tal turística/desportiva de motorização tão revolucionária.


Os sócios do MC Porto aproveitaram e começaram a chegar mais cedo que o costume. Pelas 21.30h já se montavam nela constatando o baixo peso e pouca altura do assento, dois grandes pormenores que facilitam imenso a condução.


Os responsáveis pela Moto Boxe íam explicando com naturalidade o que faz desta moto um caso sui-generis e que pode muito bem torná-la numa referência: O motor, de 4 cilindros, pode trabalhar em 2 ou 3 para poupar combustível em ritmos citadinos. A electrónica tratará de tudo. Isto para além de fornecer quase todo o superbinário a baixas rotações. Também as embraiagens e caixas de velocidades são revolucionárias de modo a não perder potência nas passagens de caixa, aumentando suavidade e conforto na utilização.



Ninguém ficou indiferente à máquina exposta, única na Europa e que anda a correr os países deste velho continente, um a um.


As conversas eram as habituais destas ocasiões descambando para a costumeira controvérsia sobre o design de tudo o que é novo.


E foi bom ver sócios fundadores misturados com os mais recentes. É bom ver o MC Porto a pulsar!











Posted by Nestov
Bookmark and Share