Loading...

sexta-feira, 8 de maio de 2009

JOGAR ÁS QUINTAS À NOITE DÁ AZIA



Ontem à noite tivemos na Sede da Alpi Portugal, digníssima patrocinadora da secção de xadrez do Moto Clube do Porto, dois jogos anticipados do preliminar J, do Campeonato Distrital Individual.

Foto: Igor pensava "Toma lá que é para não seres atrevido"...


Tivemos o grande embate entre o jogador espanhol da AX de Gaia, Benito Barbero (este nem é o Benito Mussolini, nem o Barbero de Sevilha), contra o jogador ucraniano (que pinta) do MCP/ALPI Igor Kovtun. Depois de mais de três longas horas, e, segunda reza a crónica, do Benito ter sido muito atrevido, com um ataque estilo "kamikaze", o Igor Kovtun lá conseguiu o pontinho da praxe.
Foto: Benito Barbero tristíssimo pela sua derrota. Perdeu até o apetite...




No outro jogo, o Estudante Nuno Messeder Ferreira defrontou, mais uma vez o engº. informático Rui Curado Gonçalves, e, desta vez o Nuno desforrou-se de uma recente derrota. Como se estava a preparar para ir para a queima das fitas, estava com muito gás.

Foto: Rui Gonçalves inconsolável, depois desta inesperada derrota.




Depois como o pessoal estava muito cansado, fomos tristemente até à Cervejaria Galiza afogar as nossas mágoas, em dois ou tres finitos. É assim que se sofre a jogar xadrez.



Foto: O grupo bastante desalentado, depois desta penosa jornada xadrezistica.




Posted by Afonsov
Photos by iPhone of Afonsov
Bookmark and Share

E OS VAMPIROS PASSARAM NA SEDE DO MOTO CLUBE DO PORTO




24 altruístas no MC Porto






08-05-2009





15ª Doação de Sangue decorreu em convívio






O Instituto Português do Sangue saiu da sede do MC Porto, na 5ª feira, 7 de Maio de 2009, com 20 saquinhos cheios de precioso líquido, graças à generosidade dos sócios deste clube. Até apareceram mais quatro para o dar, já que foram 24 os elementos do motoclube da Invicta a dar um passo em frente nesta iniciativa de âmbito social. Mas já sabemos como é. Basta estar-se a tomar um medicamentozinho, ter-se uma irritaçãozeca na pela ou outra michoruquice qualquer para já não se poder dar os quatro decilitros sanguinolentos.


Foto: Este é que é o "famoso" Nestov. Por trás são tudo trofeus do xadrez...


Mas estas doações ao IPS são sempre mais uns bons momentos de convívio.


Foto: O Zé, Seca Adegas, com este cabedal, deu no mínimo 20 litros.


O bar funciona, mete-se a letra em dia e há caras que aparecem pouco mas são certinhas para isto como o César, o Rochinha e a Célia, o João Zagallo, o Henrique Maia e por aí fora.






E também há outras coisas boas: temos uma mini-consulta grátis e ficamos na posse de um cartão mágico que nos abre portas nos hospitais e baixa preços em serviços que esperamos nunca vir a precisar. Como aquilo que damos.






Obrigado aos 24 e à boa disposição da equipa do IPS, pontual e eficiente, com muitas caras já bem conhecidas e desta vez lideradas por um médico ucraniano. A próxima doação MC Porto será em Novembro.




Posted by Nestov
Photos by unknown people
Bookmark and Share

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Preliminar das Quartas do Dias Ferreira




Foto:Luís Machado vence o torneio com pleno de vitórias!!


Terminou ontem o Preliminar H, que se disputou durante 6 semanas no GD Dias Ferreira.

Estiveram 3 representantes do MOTO CLUBE DO PORTO/ALPI PORTUGAL envolvidos neste Preliminar, Mário Fernandes (3º), Juliana Chiu (11ª) e António Mendes (13º).

Nos dois lugares de apuramento para a fase final ficaram dois representantes do clube da "casa", Luís Machado e Paulo Morais, que assim se juntam aos já apurados nos torneios anteriores.

RESULTADOS DOS JOGOS DE ONTEM (6ª E ÚLTIMA JORNADA):

Tab SNo. Rtg Nome Pts Res. Pts Nome Rtg SNo. 
  1 1 2088 Luís Machado 5 1 - 0 3½ Simão Pintor 1886 2 
  2 5 1639 Eduardo Santos 3½ 0 - 1 4 Paulo de Morais 1866 3 
  3 4 1803 Paulo Sérgio Teles 3 0 - 1 3 Etelvino Lima 1605 6 
  4 13 0 Mário Bernardo Fernandes 3 1 - 0 2 Leonardo Santos 1367 10 
  5 9 1428 João Guedes de Carvalho 2 ½ - ½ 2 Ricardo Simão Garcês 0 14 
  6 12 0 Juliana Chiu 1 + - - 1 Pedro Miguel Teixeira 1550 7 
  7 8 1543 António Mendes 1 0 - 1 1 António Miguel Faria 0 11 



A Classificação geral final foi a seguinte:

Clas. SNo. Nome Clube NRtg IRtg Pts BH. BH. Fide 
  1 1 Luís Machado GD Dias Ferreira 2088 2088 6 19 20 21  
  2 3 Paulo de Morais GD Dias Ferreira 1866 1866 5 19½ 21½ 18  
  3 13 Mário Bernardo Fernandes Moto C Porto/ALPI 0 0 4 17½ 18½ 14  
  4 6 Etelvino Lima CDUP 1605 1605 4 16 18 13  
  5 5 Eduardo Santos GD Dias Ferreira 1639 1639 3½ 21½ 23½ 15½  
  6 2 Simão Pintor GD Dias Ferreira 1886 1886 3½ 19 21 13½  
  7 4 Paulo Sérgio Teles GD Dias Ferreira 1803 1803 3 18 20 11  
  8 14 Ricardo Simão Garcês GD Dias Ferreira 0 0 2½ 13½ 14½ 9½  
  9 9 João Guedes de Carvalho GD Dias Ferreira 1428 1428 2½ 11 12 5½  
  10 10 Leonardo Santos GD Dias Ferreira 1367 0 2 19 20 9  
  11 12 Juliana Chiu Moto C Porto/ALPI 0 0 2 17 18 6  
  12 11 António Miguel Faria GD Dias Ferreira 0 0 2 14 15 5  
  13 8 António Mendes Moto C Porto/ALPI 1543 1543 1 17 18 4  
  14 7 Pedro Miguel Teixeira GD Dias Ferreira 1550 1550 1 11 12 2  



Estão ainda por terminar 3 Preliminares, um no MOTO CLUBE DO PORTO, outro no GD Dias Ferreira e ainda um terceiro na Ac. Xadrez de Gaia.



As finais deste campeonato disputam-se em Junho.






.




Bookmark and Share

IGOR KOVTUN EM GRANDE FORMA NAS RÁPIDAS DAS QUARTAS-FEIRAS




Ontem, voltamos às noites esplendorosas das rápidas do Moto Clube do Porto/Alpi Portugal.



Foto: Dois distintos motociclistas, vindos de propósito para apoiar os xadrezistas. O Nosso obrigado...



A "fauna" xadrezistica", mais uma vez se mesclou, com a "fauna" motociclistica, numa simbiosoe perfeita.

Foto: Os motociclistas (dos duros), a discutirem as incidencias xadrezisticas, e, a formularem apostas em relação ao possível vencedor. Grandes aficionados...



Depois de umas quartas-feiras, algo fracas, devido a festas, e, diversos afazeres dos jogadores, ontem consiguimos reunir 13 elementos, entre "a prata da casa", e, os digníssimos convidados.






Foto: O valoroso grupo de xadrezistas, com uma cara simpática em grande plano à esquerda.



Entre outros, ontem apresentaram-se "três monstros" do xadrez portuense, sendo eles o Igor Kovtun, e, os manos Emanuel e Nuno Sousa, tendo a classificação final ficado por esta ordem.





Foto: Em primeiro plano à esquerda o grande veterano sempre presente Bernardino Pereira. Na esquerda, com ar preocupada Raul Pinheiro, talvez por não ter ao lado o seu "balão".
O Igor Kovtun esteve imparável, somando os 10 jogos, do swissperfect, por vitórias.

Foto: À esquerda Emanuel Sousa, e, à direita Igor Kovtun, em discussão acalorada, em relação às incidências da sua partida.





O nosso programa mais uma vez fez a sua aparição, tendo funcionado lindamente.





CLASSIFICAÇÃO DO TORNEIO:
Igor Kovtun - 10 pontos
Emanuel Sousa - 8,5 pontos
Nuno Sousa - 6,5 pontos
4º Aníbal Nogueira - 6 pontos
5º Inês Messeder Ferreira - 6 pontos
6º José Miranda - 6 pontos
7º Diana Nogueira - 5,5 pontos
8º Nuno Messeder Ferreira - 5,5 pontos
9º Isac Campêlo - 5 pontos
10º Bernardino Pereira - 4 pontos
11º Afonso Duarte - 4 pontos
12º Raúl Pinheiro - 2 pontos
13º Sãozinha Nogueira - 1 ponto





Posted by Afonsov
Fotos from iPhone Afonsov
Bookmark and Share

quarta-feira, 6 de maio de 2009

AVENTUREIROS DO MOTO CLUBE DO PORTO À DESCOBERTA DA NASCENTE DO RIO MINHO






Subimos às duas nascentes espanholas do Minho
04-05-2009


Passeio do ano do MC Porto deslumbrou 42 mototuristas







Grande passeio este “Lidergraf à Nascente do Rio Minho” organizado pelo MC Porto de 1 a 3 de Maio, sob espectacular sol primaveril para 42 participantes em 23 motos. O fantástico trabalho de pesquisa e reconhecimentos de Artur Silva, sócio 78, e sua esposa Manuela, fez com este casal amante da Galiza desse a descobrir aos restantes mototuristas a forma como o rio Minho se desenvolve desde a nascente, sempre rodeados das melhores paisagens a norte de Orense.





E assim se passaram três dias de grande descontração, muito mototurismo, alegria e descoberta, tendo como pontos altos o conhecimento das duas nascentes do rio Minho (já explicaremos este fenómeno), as paisagens de grande qualidade da região de Lugo e os óptimos momentos e risota e convívio às refeições.





Fartote de pontes e barragens






À partida da sede do clube, na sexta de manhã cedo, as expectativas eram grandes e foram correspondidas. O tempo não poderia ser melhor – um fim de semana prolongado de sol radioso após dias de chuva para “limpar” e tornar a paisagem viçosa – um destino incomum e bem trabalhado, uma caravana que prometia coesão e “união nacional”. Foi isso mesmo o que se pediu a todos os condutores à entrada em Espanha, pela ponte internacional de Monção, sobre o Minho.







Era a primeira vez que os participantes se reuniam na totalidade já que muitos vinham de vários pontos do norte do pais. E o percurso, como obrigaria a mudar imensas vezes de estrada, graças ao tal trabalho minucioso do Artur, aconselhava a um grande cuidado para que a caravana nunca se partisse. Maravilha. E lá foram as motos pelo Minho acima, após já ter visto o rio internacional desaguar em Caminha. A um entra-e-sai em Portugal por Melgaço e São Gregório, seguiu-se a subida fácil a Ribadavia.



De registar a felicidade de ver passar nove botes de rafting onde o Minho é bravo e bonito em Melgaço, bem como fotografar uma cobra-lisa-bordalesa (que na altura nos pareceu uma cobra-de-água), marcou o início do passeio como um bom presságio. Nota da redacção incluída a 6 de Maio: Agora sim, temos a certeza da espécie da cobra, pois por erro referimos a 4 de Maio ser uma cobra-lisa-austríaca, espécie muito parecida. A cobra-lisa-bordalesa (Coronella girondica)cresce até aos 75 cm, não é venenosa e é muito passiva. Quando manipulada defeca, que foi o que aconteceu neste passeio à nascente do Minho. Ficamos cá com um cheirete nas mãos...Ribadavia tem um parque muito fresco na foz do rio Avia e que foi o escolhido para o piquenique, a única refeição que não seria de garfo e faca. Esteve-se muito bem, dando alento para a tarde, longa e vivificante até Portomarim.




O dia apresentava 355 km a vencer, 150 dos quais já feitos na mera ligação a Monção. A tarde é que prometia. Até Ourense, nada de especial, a não ser a enorme ponte medieval que há séculos se segura sobre o Minho. Até à foz do rio Sil, também nada que deslumbrasse. Muito casario descaracterizado, pontes de betão a torto e a direito, barragens antigas e provocadoras de albufeiras constantes. Mas é sempre bom saber de onde vem o “Miño”.




Numa dessas barragens há até um teleférico para peixes. Sim. Nunca funcionou pois os sáveis e lampreias não vão nessa de entrar para um tanque e subir pelos cabos... Na foz do Sil constatou-se que este afluente leva mais água que o próprio Minho. E o rio é até mais comprido. Será por o Sil não nascer na Galiza que deram mais fama ao Minho? Isso poderia mudar o rumo de muita nomenclatura. Se o Sil é que fosse até à foz, Braga passaria a ser a capital do Sil e todos os habitantes desta região portuguesas seriam os silotos.




Percurso melhora a norte


Mas deixemo-nos de tretas. A caravana começou a trepar a planaltos muito panorâmicos de urzes e matos coloridos. Começaram a surgir carvalhais e casas graníticas. Os Peares foi uma das terreolas de casinhas rústicas formosas e atractivas atravessadas. Seguiu-se a descida a Belesar, com vinhedos em socalcos, numa espécie de mini-Douro vinhateiro. O calor apertava no fundo dos vales. Mas tudo refrescava lá em cima. Cada paragem de “5 minutos para tirar uma foto” esticava-se para quarto de hora, pelo menos. Assim é que é. Na estrada rolava-se certinho, apesar da maioria das motos serem pesos pesados para tanto gancho, curvinha e asfalto estreito e manhoso. Mas os cenários compensavam. E o último planalto em redor de Chantada foi um consolo. O Cuarlos e Tuxa viraram para trás na CBR com pena nossa. Tinham vindo connosco apenas à aventura sabendo que teriam de regressar à Maia para dormir. Que esticão! Daí, uma nacional 540 fácil por Taboada levou o grupo – sempre com duas carripanas de famílias de sócios na cauda - até Portomarin, vilita histórica e obrigatória dos Caminhos de Santiago, instituição espanhola. O rebuliço era grande à chegada. O feriado atraía peregrinos a pé, de bicicleta, de camioneta e até com uma concentração de renaults semi-antigos que entupiam a praceta diante da robusta igreja de São Nicolau, autêntico “castelo-religioso” do séc XII e ex-libris de Portomarin.




Check-ins feitos, cara lavada, costas ao alto e há que jantar, colocando a conversa em dia. Tinha-se rolado muitas horas na estrada, cerca de dez, com ligeiras paragens pelo meio. Mas estava a compensar. Não se via ninguém com má cara. Muito pelo contrário.


Paisagens de qualidade em Lugo




O sábado seria o dia de subir finalmente à nascente do Minho. Acordou cinzento, já que os nevoeiros matinais são frequentes na região. Pontual, a comitiva fez-se ao caminho, tal como os peregrinos a pé. Mas nós não queríamos ir para a Praça de Obradoiro. Tínhamos 210 km a cumprir.



Começamos por uma volta muito bonita, mas infelizmente acinzentada. Mal a neblina matinal foi levantando confirmamos estar no melhor cenário de todo o fim de semana: o vale do Minho ainda ribeiro, por pequenos lugares como San Roman, Páramo, Cela e Sta Comba, autênticos e sem nada a desvirtuar as suas construções graníticas de telhados de lousa, entre frondosos carvalhais. Os prados de sebes arbóreas, com amieiros, salgueiros, carvalhos centenários e muitas outras espécies caducifólicas proporcionavam as melhores paisagens para as nossas motos que ronronavam a baixas rotações para deleite da comitiva. Paragem aqui, paragem acolá, sempre numa imensidão verde e pura de carvalhais fabulosos. Assim, sim. As pontes já não eram gigantes e de betão. Eram pequeninas e de madeira. Os motociclistas ficavam bem nelas. Parou-se ainda num parque urbano de Lugo, bem concebido nas margens do Minho represado por pequenos açudes porque aqui terminaram as albufeiras dos “envalses”. O café estava fechado mas havia sol e pureza no ar. Nem se notava estar na periferia de uma cidade, a poucos metros da sua área comercial. Tanto que dois guarda-rios brindaram os sócios do MC Porto com um voo rasante ao espelho de água. Mas que qualidade de vida... Já na estrada – que num ápice deixou a cidade para trás voltando ao carvalhal – rolavamos lado a lado com ciclistas, atletas e população activa a respirar saúde. A cafezada chegou finalmente, para estimular a paragem seguinte, numa curiosa ponte pênsil que o Artur foi descobrir junto a Meilân. Parecida com as nossas sobre o Tâmega, a construção de cabos de aço e arame deu para muita brincadeira e abanadelas.




A manhã corria com cinco estrelas. E corria pelas estradecas escolhidas pelos campos de Hombreiro, Aspai, Uriz, Rabade, Castro e muitas outras povoações bem cuidadas e onde apetece dar os parabéns aos habitantes pela estima que dão à imagem das suas terras. Não há uma casa a destoar, não há um telhado que não seja de lousa. Até as casas brasonadas os tem. Sobre os prados e bosque sobrevoam milhafres, águias e corvos. Entre o arvoredo, gaios e pegas.



Imaginam-se os corços, javalis, texugos e raposas escondidos à espera de oportunidade de sair em segurança. Confessamos: não temos nenhuma região com estas características em Portugal. Trás-os-Montes tem bons locais e o Minho também. Mas como esta envolvência de Lugo não há. Foi o melhor troço do passeio.




Digestão no Minho regato




Claro que toda esta beleza natural fez com que se tivesse de deixar as visitas às nascentes do Minho para depois do almoço. Meira, sede do concelho onde o rio nasce, tem um bom restaurante, o Pozo. Com sala cativante e acolhedora, preço em conta, serviço rápido e à lista (traduzida para português!), foi aqui que o MC Porto se sentou à mesa. Bem escolhido! Fica a recomendação.




E agora sim, vamos lá ver onde nasce o rio que desagua em Caminha. Um saltinho fora da cidade foi o suficiente para as motos estacionarem em Fonmiña, pequeno lago proveniente do afloramento das águas. Não haja dúvida de que estas são do Minho. O espaço é muito agradável e após a foto de grupo da praxe (obrigado pelo tripé, Zezé), giboiou-se com prazer. Chegou a hora de conhecer a nascente “oficial”, decretada por peritos hidrográficos. Subimos então quase aos 700 metros de altitude (este rio nasce incrivelmente a muito pouca altitude), na serra de Meira, estacionando junto a um regato que brotava de longo pedregal. O que é isso de pedregal? Uma extensão de 700 metros de pequenos calhaus, em reboliço pelo monte abaixo e de onde nascem vários fios de água, que engrossam até Meira, desaparecendo então, voltando a vir à suprefície na tal lagoa de Fonmiñá.




Claro que os 42 elementos do Passeio Lidergraf à Nascente do Rio Minho só sossegaram após a foto de grupo histórica. E mesmo assim, nem todos pararam à sombra, pois como cabras-montesas desapareceram de vista pelo pedregal acima, em busca não se sabe bem de quê. Quem foi, viu apenas a paisagem uns valentes metros mais acima, já que os milhares de calhaus pareciam não ter fim e obrigavam a outros tantos cuidados para evitar torcer um pé.





Justiça popular no MC Porto



Cumprido o objectivo do passeio, com garrafas de água atestadas com a do Minho mais puro, a caravana – onde se notava a estreia do pequenito Filipe como passageiro do Cândido - desceu então a serra de Meira para um regresso simples por Lugo e Taboada. Eis senão quando um condutor mais distraído deixa partir a caravana num viragem de direcção. Nada de grave, pois o Artur Silva tinha atafulhado toda a gente com mapas e road-books. Mas a distração ficou registada e o “criminoso” haveria de ser julgado pela justiça popular.




A tarde terminou com mais uns giros panorâmicos a sul de Portomarin - já com a comitiva reunida - para melhor contemplação da albufeira da barragem de Belesar, construção que obrigou a trasladar toda a vila (casas, pontes, igrejas e monumentos) uns bons metros acima, em 1961.

Mais um dia bem passado. Muito bem passado! Chuveiro rápido, umas cañas e toca a sentar à mesa, com as motos a ladear a igreja de S. Nicolau. À sobremesa, a justiça, que nunca pode falhar. Nada mais nada menos que o enforcamento público do vilão do dia. O Zezé, que num momento de distração se esqueceu que atrás dele ainda viriam uma dúzia de motos. À boa maneira romana, o povo decidiu-se pela morte (não foi bem assim mas não interessa...) do condenado e o nosso alegre bracarense despediu-se da vida na flor da idade.



Como no MC Porto somos todos bons rapazes, lá ressuscitamos o Zezé e a lição ficou feita. Sorteou-se então um bom livro sobre pontes do Douro e Tejo, oferta que foi precisamente para a única condutora feminina, a Teresa Marinho! E o MC Porto aproveitou o lanço para presentear o incansável casal Silva com dois jogos completos de roupa térmica MCP. Bem fixe! Mais uma noite livre pelas arcadas de Portomarin e o sábado estava terminado.
Peregrinos, mais do mesmo e um grande almoço



Domingo. Outra vez o malfadado nevoeiro. Mas já não tão limitador. Nova foto de grupo (o tripé foi útil pela terceira vez e por isso ressuscitamos o parte-caravanas) e há que engatar na estrada, coincidentemente a mesma que ladeia o Caminho Francês de Santiago. Ou seja, rolamos os primeiros 10 km lado a lado com os madrugadores caminhantes, de mochilas e cajados, de todas as idades e nacionalidades, que cerca de uma hora antes tínhamos visto partir da praça central de Portomarin, onde nos atrasamos a tentar resolver o furo traseiro da F 650 do Manel Simões. E que conseguimos, diga-se. A estrada foi agradável até Saviñao, ponto de paragem para uns “cafés solos” e gasolina barata. Depois? Mais do mesmo. Montanhas de curvinhas num sobe e desce pela praia fluvial de La Cueva, Nogueira, e Ervedeiro até ao almoço em A Peroxa. Mas já não havia carvalhais, já não havia telhados de lousa... O apetite apertava e o restaurante surgiu como um oásis desejado pois o calor já era muito. A mesa foi outra agradável surpresa. Muita petisquice, diversão e brincadeira. Este grupo revelou-se mesmo de truz! Agradecimentos em catadupa à sobremesa, onde os principais visados foram lógicamente o Artur e Manela.




Queremos que organizem mais roteiros para o MC Porto!



Não satisfeitos, ainda nos foram mostrar uma 5ª barragem e não sabemos bem quantas mais pontes até Orense. Aí, basta, engatamos na autoestrada e viemos directos para a nossa pátria, já cheios de hablar espanhuel. A despedida mostrou bem os laços que se formaram neste fim de semana prolongado. Na sombra de um relvado da área de serviço de Barcelos, mais risota, abraços e beijos. Uns seguiram para Cabeceiras de Basto, outros para Estarreja, outros para o Porto, outros ficaram em Braga. E o Rio Minho ficou bem presente na memória de todos. Obrigado pela disciplina, pontualidade e espírito posititivo. 140 fotos e um mapa aqui, centímetros abaixo.

E se quiserem ver as fotos do Zezé, espreitem em http://picasaweb.google.com/jmanuelsantos/NascenteRioMinho


Posted by Nestov
Bookmark and Share

terça-feira, 5 de maio de 2009

PRELIMINAR J DO MOTO CLUBE DO PORTO/ALPI AQUECE







Disputou-se no Domingo passado a 3ª jornada do Preliminar J, do Campeonato Distrital Individual, organizado pelo Moto Clube do Porto/Alpi Portugal.


Foto: Igor Kovtun do MCP/ALPI.







A selecção vai-se fazendo, e, no topo da classificação, somente com vitórias, encontram-se dois dos jogadores da casa, favoritos ao apuramento, Igor Kovtun, e, José Veríssimo Araújo, juntamente com a surpresa André Carneiro Dias do Grupo de Xadrez do Porto.



Foto: José Verísssimo Araújo do MCP/ALPI.







Com meio ponto de atraso seguem Nuno Messeder Ferreira, do MCP/ALPI, e, Benito Barbero, da AX de Gaia.



Na foto à esquerda: André Dias do GX do Porto.






Resultados da 3ª jornada
Tab SNo. Rtg Nome Pts Res. Pts Nome Rtg SNo.
1 1 2054 Igor Kovtun 2 1 - 0 2 Rui Yang Wang 1417 10
2 11 1387 Nuno Ventura Sousa 2 0 - 1 2 José Veríssimo Araújo 1955 2
3 7 1580 Nuno Messeder Ferreira 2 ½ - ½ 2 Benito Largo Barbero 0 19
4 18 0 André Carneiro Dias 2 1 - 0 1½ André Ventura Sousa 1296 14
5 3 1657 Rui Curado Gonçalves 1 1 - 0 1 André Francisco Moreira 1288 16
6 4 1517 José Pedro Miranda 1 1 - 0 1 Cláudia Filipa Alves 0 20
7 21 0 Eduardo Dias 1 ½ - ½ 1 Manuel Brandão de Pinho 1557 8
8 9 1493 Bernardino Pereira 1 1 - 0 1 Manuel Pedroso 0 24
9 29 0 Tiago Babo Dias 1 1 - 0 1 Inês Messeder Ferreira 1341 12
10 13 1297 Diana Sofia Nogueira 1 + - - 1 Manuel Francisco Dias 0 23
11 15 1296 Ricardo Brandão de Pinho 1 1 - 0 1 Paulo Jorge Alves 0 26
12 17 0 Ana Filipa Cunha 0 ½ - ½ ½ Rui Alexandre Gonçalves 0 28
13 5 1402 Marta Sofia Alves 0 1 - 0 0 Paulo Duarte Pedroso 0 25
14 27 0 Pedro Dinis Pedroso 0 + - - 0 Leonardo Simões 0 22











Emparceiramento para a 4ª jornada - 2009/05/10 às 15:30 horas
Tab SNo. Rtg Nome Pts Res. Pts Nome Rtg SNo.
1 2 1955 José Veríssimo Araújo 3 3 André Carneiro Dias 0 18
2 19 0 Benito Largo Barbero 2½ 3 Igor Kovtun 2054 1
3 3 1657 Rui Curado Gonçalves 2 2½ Nuno Messeder Ferreira 1580 7
4 4 1517 José Pedro Miranda 2 2 Nuno Ventura Sousa 1387 11
5 13 1297 Diana Sofia Nogueira 2 2 Bernardino Pereira 1493 9
6 10 1417 Rui Yang Wang 2 2 Ricardo Brandão de Pinho 1296 15
7 8 1557 Manuel Brandão de Pinho 1½ 2 Tiago Babo Dias 0 29
8 14 1296 André Ventura Sousa 1½ 1½ Eduardo Dias 0 21
9 26 0 Paulo Jorge Alves 1 1 Marta Sofia Alves 1402 5
10 12 1341 Inês Messeder Ferreira 1 1 Manuel Francisco Dias 0 23
11 16 1288 André Francisco Moreira 1 1 Rui Alexandre Gonçalves 0 28
12 20 0 Cláudia Filipa Alves 1 1 Pedro Dinis Pedroso 0 27
13 24 0 Manuel Pedroso 1 ½ Ana Filipa Cunha 0 17
25 0 Paulo Duarte Pedroso 0 Bye 0





Após a 3ª jornada
Clas. SNo. Nome Clube NRtg IRtg Pts BH. BH. Fide
1 1 Igor Kovtun Moto C Porto / ALPI 2054 2054 3 4 5 6
2 José Veríssimo Araújo Moto C Porto / ALPI 1955 1955 3 4 5 6
3 18 André Carneiro Dias G Xadrez do Porto 0 0 3 3½ 5 6
4 19 Benito Largo Barbero Ac Xadrez de Gaia 0 0 4½ 5½ 5½
5 7 Nuno Messeder Ferreira Moto C Porto / ALPI 1580 0 4 5 5½
6 10 Rui Yang Wang G Xadrez do Porto 1417 0 2 5 6 5
7 13 Diana Sofia Nogueira Moto C Porto / ALPI 1297 0 2 4 5 4
8 4 José Pedro Miranda GX Escola Boa Nova 1517 1517 2 4 5 3
9 11 Nuno Ventura Sousa G Xadrez do Porto 1387 0 2 4 4 5
10 15 Ricardo Brandão de Pinho G Xadrez do Porto 1296 0 2 4 4 3
11 29 Tiago Babo Dias G Xadrez do Porto 0 0 2 3½ 4½ 4
12 3 Rui Curado Gonçalves Moto C Porto / ALPI 1657 1657 2 3½ 4 4
13 9 Bernardino Pereira Clube Millennium bcp 1493 0 2 2 2 3
14 8 Manuel Brandão de Pinho G Xadrez do Porto 1557 0 4½ 4½ 3½
15 14 André Ventura Sousa G Xadrez do Porto 1296 0 4 5 3½
16 21 Eduardo Dias G Xadrez do Porto 0 0 4 4 2½
17 12 Inês Messeder Ferreira Moto C Porto / ALPI 1341 0 1 5 6 3
18 16 André Francisco Moreira G Xadrez do Porto 1288 0 1 5 6 2
19 20 Cláudia Filipa Alves Moto C Porto / ALPI 0 0 1 4½ 4½ 3
20 23 Manuel Francisco Dias G Xadrez do Porto 0 0 1 4 6 3
21 24 Manuel Pedroso Moto C Porto / ALPI 0 0 1 4 4½ 2
22 5 Marta Sofia Alves Moto C Porto / ALPI 1402 1402 1 4 4 1
23 26 Paulo Jorge Alves Moto C Porto / ALPI 0 0 1 3½ 4½ 2
24 28 Rui Alexandre Gonçalves Moto C Porto / ALPI 0 0 1 3½ 4 2
25 27 Pedro Dinis Pedroso Moto C Porto / ALPI 0 0 1 3 3 1
26 17 Ana Filipa Cunha Moto C Porto / ALPI 0 0 ½ 3 4 ½
27 25 Paulo Duarte Pedroso Moto C Porto / ALPI 0 0 0 4 5 0
Posted by Afonsov
Bookmark and Share

segunda-feira, 4 de maio de 2009

MI CHECO, VLADIMIR TALLA, VENCE TORNEIO AAC - HOTEL D. LUÍS

Disputou-se, mais uma vez, o Torneio AAC - Hotel D.Luis, de Coimbra, que é um dos melhores torneios de clássicas, realizado em Portugal.




Costumam estar presentes, vários jogadores títulados, sendo um torneio de bom nível competitivo.




Este ano, a prova foi ganha pelo MI checo, Vladimir Talla.






No segundo lugar, com o mesmo número de pontos, mas com desempate inferior, ficou o nosso conhecido GM canadiano Kevin Spraggett.







CLASSIFICAÇÃO:
III Open Internacional Hotel D. Luis \ AAC
FED Club
1º 4 Vladimir Talla 2456 CZE Senior 5 pontos
2º 1 Kevin Spraggett 2601 CAN Senior 5 pontos
3º 2 Alberto Gonzales 2481 SP Senior 5 pontos
4º 15 Daniel Quintã 2063 POR Senior 5 pontos
5º 3 Petr Velicka 2468 CZE Senior 5 pontos
6º 12 Ana Baptista 2174 POR U20 5 pontos
7º 8 Francisco Leon 2236 ESP Senior 4½ pontos
8º 6 Rui Dâmaso 2413 POR Senior 4½ pontos
9º 20 António Vasques 1999 POR U16 4½ pontos
10º José Perez 11 2188 ESP Senior 4½ pontos
...

15º José Padeiro 2230 POR MCP/ALPI 4 pontos







49º João Vicente 1739 U14 POR MCP/ALPI 3 pontos









Posted by Afonsov

Bookmark and Share

domingo, 3 de maio de 2009

Acabar em grande...é assim as "gentes" do MOTO CLUBE DO PORTO

FOTO.Matos termina com 2,5 pontos e Mário com 3,5 , antes da última ronda



Terminou em beleza a participação do MOTO CLUBE DO PORTO / ALPI PORTUGAL no torneio internacional de Benidorm, com uma vitória e um empate!


A sensação que ficou foi que a partir de agora não perdiamos mais nenhuma partida....


Ainda não se sabe quem foi o vencedor , mas o nível do Torneio foi excelente.





.
Bookmark and Share

Parabéns Nuno


Hoje é dia de anos


Parabéns Nuno Lima




.
Bookmark and Share